Pesquisar neste blog

31 de dez de 2010

Feliz 2011

Encerrando a última postagem do ano, louvemos e agradeçamos a Deus por mais um ano que nos foi dado e conservemos diante do Senhor uma atitude de gratidão, tanto na prosperidade quanto na adversidade, pois o apóstolo Paulo já recomendava em I Tessalonicenses 5:18: "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco". Na prosperidade, porque sabemos que todas as bênçãos vêm de Deus; na adversidade, porque sabemos que Deus pode tirar algo bom de algo mau - uma bênção a partir de algo que parece maldição (ver Neemias 13:2). Além disso, o mesmo apóstolo nos fala que "tudo colabora para o bem daqueles que amam a Deus" (Romanos 8:18). Não percamos de vista a perspectiva de que Deus  pode usar a nós, mesmo sendo vasos imperfeitos, para cumprir os seus propósitos  justos e misericordiosos neste mundo. E junto com seus propósitos, abençoar a nós e aqueles que estão ao nosso derredor. 

O vídeo para último dia do ano é Carol of the Bells (Canção dos Sinos), cuja história já foi postada um ano atrás e pode ser relembrada aqui. Trago primeiro a versão ao piano de George Winston, mais melódica e até melancólica, porém não menos interessante do que a versão mais vibrante e alegre do Brooklyn Tabernacle Choir (Coral do Tabernáculo do Brooklyn), também já postada aqui um ano atrás, mas a qual posto novamente por ser uma das melhores versões que encontrei de Carol of the Bells. A todos, um feliz 2011 repleto da presença do Senhor e de suas muitas bençãos. 



30 de dez de 2010

Oh Holy Night 4

Encerrando a série de versões e interpretações de O Holy Night, trago hoje a versão gospel com um toque instrumental na segunda parte da música pelo Gospel Choir of Lousiana (Coral Gospel da Louisiana) ; a versão soul romântica de Al Green, de 1983; e enfim, o HillSong, aclamado banda/grupo cristão internacional dá um tom pop rock melódico à O Holy Night. Criei uma playlist com as 38 versões que eu consegui reunir no YouTube, incluindo as que postei esta semana, e que vocês podem acessar clicando aqui






28 de dez de 2010

Oh Holy Night 3

Continuando com a overdose de Oh Holy Night (corro o risco de depois dessa semana, ninguém suportar mais por um bom tempo ouvir Oh Holy Night - hehehehe), trago hoje mais 3 versões da canção: a primeira. que eu apreciei pela força da interpretação de Josh Groban, a melhor que eu já vi;  a segunda, uma versão clássica lírica em norueguês, que também achei original e interessante, cantada por um dos membros do Oslo Gospel Choir (Coral Gospel de Oslo); e a terceira, uma versão "disco", bem dançante e bem ritmada da supracitada canção, que achei bom demais da conta rapaz.  E uma vez mais, três doses de Oh Holy Night na veia (rsrsrsr).


27 de dez de 2010

Oh Holy Night 2

Agora que eu me decidi por essa overdose de Oh Holy Night nesta semana após o natal, começo hoje com a versão da música cantada por corais: dois corais juvenis e a magnifíca interpretação de Oh Holy Night pelo Mormon Tabernacle Choir (Coral do Tabernáculo Mórmon), de quem eu sou fanzaço, como já declarei abertamente aqui outras vezes (não, eu não sou mórmon, mas não podemos deixar de reconhecer a excelência das coisas independente de nossos partidarismos religiosos).

Primeiro, eu trago Oh Holy Night na voz do PS22, um coral dos alunos da 5ª série de uma escola pública em Staten Island, cidade de Nova Iorque. O coral já se apresentou com diversos artistas da música pop americana e em diversos programas da tv estadunidense e é uma excelente demonstração de como certas iniciativas podem fazer toda a diferença na vida  das pessoas em qualquer época e qualquer idade, neste caso, na vida de crianças filhas de imigrantes da multi-hiper-poli-étnica Nova Iorque  que devem sofrer alguns problemas com a integração político-cultural em um país novo com famílias vindas de culturas e tradições diferentes- como no caso da maioria dos alunos da 5ª série do PS22.

Em seguida, a versão sublime soft no estilo sacro gregoriano dos garotos do St. Philips Boys Choir, mais conhecidos como Libera, e já conhecidos pelos que acompanham este blog. E por último, mas não menos gratificante e de grande enlevo espiritual, a apresentação da supracitada canção pelo Coral do Tabernáculo Mórmon.





26 de dez de 2010

Oh Holy Night - Ó Noite Santa

"Oh Holy Night" (Ó Noite Santa) é um dos clássicos de natal mais lindos que já ouvi, senão o mais lindo, e geralmente ocupa o 1º lugar de preferência no coração de muita gente não só pela beleza da melodia, mais pela beleza da letra e profundidade com que celebra o nascimento do Messias, sendo um dos ícones da música sacra natalina mundo afora, principalmente nos Estados Unidos. A canção não alcança tanta popularidade na sua versão em português no Brasil, e aliás desconfio que seja bem pouco conhecida no Brasil, mas tem sido uma das mais interpretadas ano a ano nos Estados Unidos e países anglófonos por diversos cantores, cantoras, artistas, grupos e corais, sejam do mundo secular ou cristão. Particularmente, acho a versão da letra em inglês melhor que a versão em português, já que ambas são versões do original francês, Cantique de Noël (Canção de Natal), composta por Adolphe Adam. Particularmente tornou-se uma de minhas cançoes sacras prediletas, tanto por sua melodia quanto por sua letra, que nos convidam a reverenciar, celebrar e  a glorificar ao Messias que despojou-se de sua glória nos céus para se tornar um de nós desde aquela primeira noite numa manjedoura em Belém. Incrível é a diversidade de versões que encontrei da canção: primeiro vem a versão clássica cantada por artistas pop como Mariah Carey, Celine Dion, Aretha Franklyn, Josh groban, Carrie Underwood, Nat King Cole e cantores e bandas gospel como Rebeca St. James, David Phelps, Hillsong, muitas vezes apresentada em uma versão bem gospel como a interpertada por Mariah Carey ou pelo Lousiana Gospel Choir; depois as versões de música de câmara ou de canto gregoriano como a cantada pelos garotos do Libera Boys Choir e King's College Choir, ou do concerto natalino da Catedral de Saint Paul, em Londres.  Há versões para todos os gostos: gospel, clássica, rock, instrumental, dance, techno, soul, contemporânea, e assim por diante. Foi um desafio ouvir todas essas versões e escolher dentre as mais de 40 que ouvi (na realidade, como gosto muito de Oh Holy Night, ouvi todas as versões com uma certa curiosidade e prazer ao mesmo tempo) e escolher só algumas para postar aqui no blog. Por isso, vou fazer a tarefa por etapas. Decidi postar a cada dia até o fim do ano, duas ou três versões diferentes e deixar que vocês decidam a que mais gostaram de ouvir. Começo hoje com a interpretação do dueto feito por Mariah Carey e Michael Bolton, num estilo pop gospel  com direito às notas agudas e vibrantes da voz talentosa de Mariah; seguida então pela versão do cantor gospel David Phelps, cujo enlevo espiritual de Oh Holy Night deixa sua plateia num estado de vibração indescritível, como vocês poderão constatar; e por fim, a versão gospel, mais informal, porém não menos bonita do Dublin Gospel Choir (Coral Gospel de Dublin).



25 de dez de 2010

Noite Feliz

Silent Night (Noite Feliz) é um clássico do natal de todos os tempos. Desta vez, a performance é entoada pelas vozes harmoniosas do Coral Gospel de Oslo (Oslo Gospel Choir), Noruega.

Libera - Enquanto os pastores observavam seus rebanhos à noite

No vídeo a seguir, os garotos do Libera celebram através da canção While Shepherds Watched Their Flocks by Night (Enquanto os pastores observavam seus rebanhos à noite) a passagem do evangelho de Lucas 2: 7-18 relatada abaixo:

6) E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela [Maria] havia de dar à luz.
7)E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
8) Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
9) E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
10) E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
11) Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
12) E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
13) E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
14) Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.
15) E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.
16) E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura.
17) E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita;
18) E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam.




Que o natal não seja mais apenas uma data comemorativa em nosso calendário, mais uma celebração símbolo das maravilhas e transformações que o Messias têm feito em nossas vidas, desde que despojado de sua glória do Céu, se tornou um de nós e deu a sua vida em favor de muitos.

22 de dez de 2010

É natal de novo

Este outro vídeo é da música It's christmas once again (É natal mais uma vez), do album 2010 de natal do Brooklyn Tabernacle Choir (Coral do Tabernáculo do Brooklyn).

20 de dez de 2010

O Rei de toda glória nasceu

Este vídeo é uma parte do especial de natal 2010 realizado em Washington D.C, capital dos Estados Unidos,transmitido nacionalmente todos os anos para a nação americana e que reúne celebridades como o presidente Barack Obama e sua família, e que podem ser vistos aqui na plateia. No vídeo, Mariah Carey interpreta a canção One Child, que fala especialmente do relato do evangelho de Lucas a respeito do nascimento de Jesus, cuja canção conclama finalmente que um "menino pode mudar o mundo" e "que um rei nos nasceu". Que esta realidade do natal, Jesus, a esperança e a redenção do alto encarnada em homem, possa mudar a vida de muitos que n'Ele crê.

12 de dez de 2010

Digno é o cordeiro - BTC

Que neste natal, você celebre com seu corpo, alma e mente a vinda do Cordeiro de Deus a este mundo, segundo a palvra de seu Pai, o único digno de "receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor" (Apocalipse 5:12), porque "em nenhum outro há salvação... [e] também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (Atos 4:12). Meu amigo, Jesus Cristo é o único caminho pelo qual devemos ser salvos. Nenhum outro homem com sabedoria especial ou que se diga profeta ou um outro deus pode tomar o lugar de Jesus, o Senhor. Assim, "Se, com a tua boca, confessares ao Senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo" (Romanos 10: 9). Deixo para seu enlevo espiritual, o vídeo Worthy is the Lamb (Digno é o Cordeiro), do Brooklyn Tabernacle Choir.